Buscar

Vestibular em ano de pandemia: um emaranhado de sentimentos

Atualizado: 13 de Out de 2020

Todo adolescente em ano de vestibular passa naturalmente por um período de muita ansiedade. Ele se sente pressionado, é constantemente assombrado pelo medo de não ser aprovado, precisa lidar diariamente com a expectativa da família, dos amigos e dele mesmo. Em meio a tudo isso, o adolescente precisa se concentrar e focar no estudo.


Este cenário por si só já é desgastante para o jovem. Agora vamos pensar nele dentro do contexto da pandemia.






A pandemia traz a sensação de falta de controle, gera incertezas e muita ansiedade. Há a preocupação com as pessoas que estão doentes e, para alguns, o confronto com a perda. A solidão por estarem privados do convívio diário com amigos gera angústia.


Estes são sentimentos que facilmente potencializam a insegurança que o jovem já estava vivendo e com isso surgem novos receios. Tenho ouvido com frequência dos adolescentes colocações como:


- “e se a prova não acontecer? Terei jogado fora o meu ano inteiro?”;


- “não consigo me concentrar”;


- “sinto que não vou dar conta”;


- “eu sou o único com tanto medo?”.


A tudo isto, pode se somar, ainda, as inseguranças típicas da adolescência.


Este emaranhado de sentimentos, aos olhos de muitos vestibulandos, parece intransponível. Sem saber lidar com a situação, o adolescente acaba colocando sua capacidade em cheque, se sentindo paralisado.


Orientações para o adolescente


Vou trazer algumas orientações para ajuda-lo a mitigar a ansiedade e atravessar esta fase com menos sofrimento:


1) Converse sobre seus sentimentos. É importante falar sobre os medos, sobre a pandemia, sobre a pressão que está sentindo. Ao conversar com outra pessoa, você ganhará novas perspectivas.


2) Organize a rotina. O “aparente” excesso de tempo aliado à dificuldade de planejamento presentes nesta fase, pode prejudicá-lo no cumprimento das suas tarefas. Não esqueça de equilibrar a rotina de estudo com trocas virtuais com os amigos e momentos com a família.


3) Você tem “ferramentas internas” para lidar com a situação. Relembre situações de estresse que conseguiu superar e identifique esses mecanismos dentro de você.


4) Pense com o grupo de amigos em soluções criativas para tornar este período mais leve e produtivo.


5) Se perceber que o nível de ansiedade, tristeza, irritabilidade e desânimo está acentuado ou no seu limite: busque ajuda de um psicólogo. Os psicólogos estão atendendo online.


Webinar

Se você quiser, você pode participar do webinar de acolhimento, que acontecerá no dia 7 de julho. Este evento será gratuito e nele conversaremos sobre os sentimentos, as preocupações e os medos presentes nesta fase. Acesse o link e saiba mais sobre o evento. Esta atividade é destinada aos adolescentes.


Aos pais sugiro participar do webinar que será divulgado em breve, em que discutiremos a escolha profissional, ansiedades dos adolescentes e expectativas dos pais. Sinalize seu interesse em receber mais informações sobre o evento acessando este link.


Gabriela Azevedo é psicóloga, com mestrado em Comportamento do Adolescente, especialista em programas de carreira e coordenadora da Academia de Talentos da Mauá.

www.gabrielaazevedo.com.br


128 visualizações0 comentário

11 98381-4881         

gabriela.azevedo@verace.com.br

Atendimento: 

Presencial - Jardim Guedala, São Paulo

Online - Brasil e exterior

  • Preto Ícone LinkedIn
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone Instagram